Anne não escreve apenas no seu diário, ela também escreve contos e coleciona frases bonitas.

Anne, a escritora

  • Imprimir

Quando fez 13 anos, Anne recebe um diário como presente dos seus pais. No início ela acha um bocado estranho escrever num diário. Ela não imagina que alguém se possa interessar pelos devaneios de uma menina de 13 anos. 

Showcase Anne en haar dagboek

Anne e seu diário

Descobrir a história por trás do diário de Anne Frank.

Visite o site

O diário de Anne Frank é publicado

No diário, Otto lê sobre o plano de Anne de publicar um livro depois da guerra acerca do tempo que passou no Anexo Secreto.

Mais

Reactions to the diary

Otto received many letters after the publication of Anne’s diary.

Mais...

Aparentemente, Anne precisa de desabafar os seus sentimentos. A primeira coisa que ela escreve é: "Espero poder confidenciar-te tudo como nunca pude confidenciar a ninguém e espero que sejas uma fonte de conforto e apoio." 

"Kitty"

Enquanto está escondida, Anne decide pensar no seu diário como uma amiga, a quem ela chama Kitty. Isso torna a escrita mais fácil. Para além disso, ela não tem de facto uma verdadeira amiga, 'e foi assim que surgiu a ideia de começar um diário', admite, 'quando estou com amigos a única coisa em que penso é em passar um bom bocado. Não consigo falar sobre nada para além das coisas normais do quotidiano. Parece que não conseguimos tornar-nos mais próximos, e esse é o problema. Talvez seja culpa minha o fato de não sermos confidentes. De qualquer forma, é desta forma que as coisas são e infelizmente não me parecem susceptíveis de mudar. Por esta razão comecei o diário.'

Trazido para o Anexo Secreto

Quando a família Frank vai para o esconderijo, a primeira coisa que Anne embala é o seu diário. E uma vez no Anexo Secreto, ela aplica-se a aí escrever quase todos os dias. A sua vida agora é totalmente diferente da sua anterior despreocupada existência. Anne deseja viver e é dificíl para ela estar confinada num espaço e forçadamente em silêncio. O seu diário é uma ajuda. 

A melhor parte é poder escrever todos os meus pensamentos e sentimentos, caso contrário estaria totalmente sufocada. 

Anne Frank, 1944

Auguste quer ler

Mrs. van Pels tem o descaramento de perguntar se pode ler. 'Não, senhora' diz Anne educada mas firmemente. A sua irmã Margot tem mais sorte. Anne promete-lhe que pode ler algumas partes, mas apenas se ela também puder ler o diário de Margot. 

Pequenas histórias

Anne encontra na escrita uma empolgante crescente busca. No verão de 1943 ela começa a escrever as suas próprias histórias. Ás vezes lê-as em voz alta para os outros que se encontram no Anexo Secreto. Igualmente inicia um "livro de frases bonitas", uma colecção das suas frases preferidas retiradas de trabalhos de outros ecritores. 

Livro de "contos" Índice do livro de "contos" de Anne, um caderno de contabilidade no qual escreveu pequenas histórias.

Reportagem especial de notícias

A 8 de março de 1944, as pessoas no esconderijo ouvem uma reportagem especial de notícias na transmissão radiofónica holandesa de Londres, Radio Oranje (Rádio Laranja). O Ministro holandês Bolkestein anuncia que diários e outros documentos importantes vão ser recolhidos quando a guerra terminar, como um registo daquilo que aconteceu aos holandeses durante a Segunda Guerra Mundial e será preservado para futuras gerações. No esconderijo imediatamente pensam no diário de Anne. 

Romance sobre o Anexo Secreto

Anne tem uma idea que acha brilhante e escreve: "Imagina o quão interessante seria se eu publicasse um romance sobre o Anexo Secreto. Somente o título levaria as pessoas a pensar que seria uma história de detetives." Em maio de 1944 esta ideia ganha contornos sérios: "Enfim depois de uma grande dose de reflexão comecei o meu Achterhuis (Anexo Secreto), na minha cabeça (....)

Anne reescreve o seu diário

Anne começa a retrabalhar seriamente o diário e chama-lhe O Anexo Secreto. Anne sente-se cada vez mais confiante de que quando a guerra acabar ela quer fazer uso do seu talento como escritora. Sonha em tornar-se jornalista e depois uma escritora famosa. E se afinal ela não tiver talento para escrever livros ou artigos de jornal, pode sempre escrever apenas por prazer pessoal, diz para si própria. 'Mas eu quero conseguir mais que isso. Não me imagino a ter que viver como a mãe, Mrs. van Pels e todas as mulheres que desempenham o seu trabalho e são depois esquecidas. Eu preciso de ter algo para além de um marido e filhos a que me possa dedicar! Eu não quero viver em vão como a maioria das pessoas.'

Páginas soltas Partes do diário da Anne.

Anne continua a trabalhar arduamente

Anne revê a maioria do seu diário original no curto período anterior à prisão das pessoas escondidas a 4 de agosto de 1944. Usando folhas soltas de papel colorido, frequentemente apenas faz pequenas correcções nos textos. Outras vezes ela apaga passagens inteiras por achar que são demasiado pessoais. As cartas no seu diário são ainda destinadas a Kitty, a sua amiga imaginária. A última inscrição no diário que a Anne teve oportunidade de reescrever data de 29 de março de 1944. 

Anne inicia-se na escrita

Para além do seu diário, Anne também escreve "citações favoritas" num outro caderno. 

Mais...

Anne, a escritora

Anne acha na escrita uma busca cada vez mais encantadora. 

Mais...

Finalmente levada a sério como escritora? As várias versões do diário de Anne

Em 1998, o aparecimento de cinco páginas desconhecidas escritas pela Anne fez mais uma vez com que as atenções se focassem no…

Mais...