Fritzi

  • Imprimir

“Fritzi” Markovits nasceu em Viena, Áustria, em 1905. Fugiu do regime nazista para a Holanda em 1938, com seu marido Erich Geiringer e seus filhos Heinz e Eva. A família Geiringer se estabeleceu em Amsterdã, morando na Merwedeplein, 46, em frente à família Frank.

Como Margot Frank, Heinz Geiringer é convocado, em 5 de julho de 1942, a se apresentar para transporte para “campo de trabalho” na Alemanha. No dia seguinte, a família se esconde. São denunciados em maio de 1944 e enviados para o campo de extermínio de Auschwitz, via campo de Westerbork, na Holanda. O marido Eric morre na “marcha da morte” e o filho Heinz no campo de concentração de Mauthausen. Fritzi e Eva são libertadas de Auschwitz pelo exército russo, em 27 de janeiro de 1945. Voltam para Amsterdã em 13 de junho de 1945, em companhia de Otto Frank.

Depois de casados, Otto e Fritzi se estabelecem em Basileia, na Suíça, para onde a família de Otto se mudara antes da Segunda Guerra Mundial. Seu compromisso com a educação dos jovens sobre racismo e discriminação os leva a abrir a Casa Anne Frank, em Amsterdã, em 1960.

Depois da morte de Otto, em 1980, Fritzi Frank continua o trabalho de suas vidas, desde sua casa na Basileia. Ela foi desde o início, em 1990, uma dedicada patronesse do Anne Frank International Trust, da Inglaterra, até sua morte, em 1998. A história de sua vida é parte da biografia de sua filha – “A História de Eva”.