Reforma e restauração.

  • Imprimir

O objetivo do projeto era recriar o prédio original, como descrito no diário de Anne, reconstruindo toda a seção frontal da casa, como era durante a guerra. Desta forma, a visita à Casa se tornaria algo maior do que uma visita tradicional de museu: seria uma vivência.

Otto Frank met Koningin Juliana bij draaibare boekenkast (1979)

De esconderijo a museu

A história da Casa Anne Frank.

Mais

O projeto compreendia quatro partes: 

  • Preservação geral do Anexo Secreto, em particular, do quarto de Anne;
  • Reconstrução da fachada da casa na Prinsengracht, 263, ao estado em que encontrava no período de 1940 a 1945;
  • Reforma da Prinsengracht, 265.
  • Construção em larga escala de novos prédios na esquina da Prinsengracht com a Westermarkt, formando a nova entrada do museu e outras instalações para visitantes.

Cinco Anos.

A segunda restauração levaria cinco anos para ser completada. Graças à criatividade dos construtores, a Casa Anne Frank permaneceu aberta ao público durante todo esse período. O lado da casa que dá para o canal foi restaurado à semelhança do que era no tempo da guerra, seguindo antigas fotos, descrições encontradas no diário de Anne e lembranças de Miep Gies, que lá trabalhou, durante e depois da guerra.

Mais espaço para exibição.

Durante a restauração, o antigo complexo de alojamentos para estudantes também foi reformado. Isto permitiu que o museu tivesse mais espaço para exibições e instalações, e para a área administrativa da Fundação Anne Frank. Uma das novas instalações, criada durante a reforma, foi o café museu, no andar acima dos 24 apartamentos para estudantes, construídos no lado da Westermarkt.